sábado, 2 de abril de 2011

Ahan, Menem. Senta lá!

Os aliados da atual presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, fizeram uma jogada de mestre nos últimos dias. Não é de hoje que o ex-presidente Carlos Menem anuncia a intenção de concorrer nas eleições presidenciais de outubro deste ano. Mesmo este sendo uma espécie de Paulo Maluf da Argentina, assim como o brasileiro, ele ainda possui uma legião de eleitores fiéis. Tanto que conseguiu se eleger Senador.

Para evitar o confronto com Menem, os aliados de Cristina ofereceram apoio a ele na tentativa de se reeleger no Senado. A princípio, Menem aceitou e não vai mais incomodar o Peronismo nas eleições para escolher o próximo presidente do país.

Obviamente, o apoio a Menem foi alvo de uma enxurrada de críticas. Tudo pode tratar-se de um político de caráter duvidoso, que coleciona condenações e foi o responsável pela grande crise que fez a Argentina ter vários presidentes em poucas semanas, em dezembro de 2001, além de bagunçar a economia.

Motivos não faltam para achar que Menem é uma péssima opção para qualquer cargo político, mas os aliados de CFK seguiram a política do “menos pior”. Ao invés de atrapalhar a eleição presidencial, ele tenta o Senado e assim pode causar menores dados ao país.