sexta-feira, 15 de abril de 2011

Humala está se “Lulizando”

O vencedor do primeiro turno das eleições presidenciais no Peru, Ollanta Humala é um conhecido líder da esquerda com um possível passado guerrilheiro ainda desconhecido. Está em sua segunda tentativa de chegar à Presidência.

Em 2006, com apoio do venezuelano Hugo Chávez e, dizem os analistas, espelhando-se neste, Humala fez uma campanha agressiva e com discursos fortes. Conseguiu ir para o segundo turno, mas foi derrotado pelo atual presidente Alan Garcia.

Novamente está na disputa do segundo turno, desta vez contra a filha do ex-presidente Alberto Fujimori, Keiko Fujimori. A diferença está no tom da campanha: ele evitou falar sobre Chávez nos discursos e entrevistas e, dizem, tem o ex-presidente Lula* como exemplo. Além disso, está mais moderado.

Humala está se “Lulizando”. Assim como o ex-presidente brasileiro, adotou uma postura mais para o “paz e amor” do que para o maluco revolucionário que vai mudar o país num passe de mágica. Parece estar dando certo.

Soma-se a isso o fato da candidata de oposição ser frágil: Keiko Fujimori não tem como se desvincular da imagem do pai, ex-presidente condenado a 25 anos de prisão por violações dos direitos humanos. Para o “Ollanta paz e amor” a eleição está no papo.

* Na foto da revista Época, o encontro entre ambos em 2006, no Palácio do Planalto.