sexta-feira, 14 de outubro de 2011

ELEIÇÕES ARG: Duhalde contra o casamento gay

A Argentina é um dos países da América do Sul mais avançado quando o assunto são os direitos dos homossexuais. Por lá, o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovado em 2010 pelo Congresso. Só que nem todos parecem estar alinhados com a defesa de direitos iguais para todos os grupos.


Nesta sexta-feira, 9 dias antes das eleições presidenciais, o candidato da Frente Popular, Eduardo Duhalde, se declarou contra o casamento gay. "Las personas homosexuales tienen derecho a constituir uniones civiles, pero matrimonio no", disse. Não satisfeito, ainda condenou também o aborto, que classificou como “assassinato”.


O candidato, que tem no currículo a vice-presidência na gestão de Carlos Menem e 1 ano ocupando o cargo de presidente, tenta desesperadamente conquistar os votos dos eleitores mais conservadores. Isso é justificável, pois nas eleições prévias ele foi o segundo colocado e na última pesquisa aparecia em quinto lugar. Duhalde está indo ladeira a baixo e está desesperado.


Como ele sabe que atacar a atual presidente Cristina Kirchner, que goza de alta popularidade, não é uma atitude lá muito inteligente, escolheu o candidato a vice-presidente, Amado Boudou, como alvo. Ele diz que o atual ministro da economia é “um DJ” que toca a música e não percebe que “la noche” está chegando.


Na Universidad Austral, falando para alunos afirmou que não é nem de direita, nem de esquerda. Também assinou um acordo, chamado “Protocolo por la Vida”, elaborado pela Associação Cristã de Igrejas Evangélicas da Argentina.