quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Kadafi: mais uma 'vítima' dos EUA

A revolução na Líbia chega em um dia histórico. A captura e morte do ditador Muammar Kadafi com certeza vai mudar os rumos da revolução no país árabe. A questão é saber para onde? Foi-se o ditador e agora, o que fica?

No Egito, Mubarak foi obrigado a renunciar e deu lugar a uma junta militar que demora em marcar eleições democráticas. Os egípcios trocaram uma ditadura por outra. A Líbia contou com o apoio da OTAN e dos Estados Unidos para fazer a revolução e isso não me cheira bem.

Kadafi se junta ao grupo de líderes árabes defuntos, ao lado de Saddan e Osama. Todos foram, direta ou indiretamente, mortos pelos Estados Unidos.

O futuro da Líbia é um grande ponto de interrogação. O governo transitório está instalado, mas ninguém garante que será tão transitório assim. A ilusão de que o povo derrubou Kadafi e que o povo vai governar impera no mundo todo. Resta saber se isso será bom. Lembrem-se: não há nada tão ruim que não possa piorar.