quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A Argentina é melhor que o Brasil

Muito além da discussão "Maradona ou Pelé", a Argentina demonstra com fatos que está muito a frente do Brasil em vários aspectos. Primeiro, porque duvido que vá haver um nacionalista brasileiro que fique indignado com esse texto. Aqui impera a lei de que a grama do vizinho é mais verde, sempre. Se fosse publicado em qualquer blog argentino, por mais insignificante que fosse, um texto afirmando que o Brasil é melhor que a Argentina, milhares de pessoas ficariam indignadas e defenderiam a nação.

A Argentina pode até não ser mais bonita que o Brasil. O povo brasileiro pode ser mais caloroso, mais alegre e uma infinidade de coisas. Mas quando se discute os avanços em questões importantes, os hermanos nos ganham com facilidade. Neste momento, por exemplo, os lesgisladores argentinos discutem dois assuntos: a legalização do abordo e a igualdade de gênero. O primeiro, um tabu para o Brasil. Não sei se estarei vivo o dia que o abordo for discutido na Câmara ou no Senado brasileiros. O segundo, um projeto que beneficia travestis e trans com a possibilidade de mudar de nome e gênero perante a Lei.

Além desses dois assuntos importantíssimos em fase inicial de discussão, a Argentina tem feitos que comprovam essa maturidade que defendo: No ano passado o país aprovou o matrimônio igualitário, possibilitando a casais do mesmo sexo que se casem e tenham os mesmos direitos que os casais héteros; Cenário da ditadura mais agressiva da América, a Argentina anulou a lei que anistiava os criminosos dessa época e eles estão sendo condenados; O Governo de Cristina Kirchner enfrentou o Grupo Clarín e aprovou a chamada Lei de Meios, que trata sobre a democratização dos meios de comunicação; Os argentinos têm pessoas de quem sentir orgulho na política, como os ex-presidentes Néstor Kirchner e Juan Domingo Perón, idolatrados pelos peronistas; Para quem gosta de futebol, lá qualquer emissora de televisão pode transmitir as partida dos campeonatos nacionais sem pagar nada e, principalmente, sem privilégios.

Poderia fazer uma lista interminável de motivos para acredita que a Argentina é melhor que o Brasil, mas prefiro contrariar o meu próprio título e acreditar que eles estão apenas mais avançados e que, um dia, nós vamos chegar lá. É muito difícil acreditar de verdade nisso, mas foi acreditando que eles conseguiram. Um dia vamos deixar de ser os retardatários entre os países em desenvolvimento.