quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Subsídios estão perto do fim na Argentina

O governo da Argentina anunciou hoje a criação de uma comissão que vai reavaliar os subsídios concedidos pela nação. Lá, o governo ajuda a população a pagar as contas de luz e gás, além de bancar boa parte da passagem de ônibus dentro das cidades. Em Buenos Aires, por exemplo, por cerca de 0,50 centavos de real você pode utilizar os coletivos.

A criação dessa comissão foi anunciada há pouco pelo ministro da economia, Amado Boudou (e vice-presidente eleito) e pelo ministro do planejamento, Julio de Vito. Ambos deixaram claro que essa é uma medida da presidenta Cristina Kirchner, que está em Cannes, na França, participando da cúpula do G-20. Durante o anúncio, foi informado que alguns subsídios já foram eliminados, como da telefonia móvel, dos bancos, dos seguros, dos jogos de azar, dos aeroportos e das atividades extrativas.

Os ministros também explicaram que as empresas fornecedoras de água, luz e gás também serão afetadas, mas a decisão de retirar ou apenas diminuir o subsídio será da comissão. No entanto, De Vito afirmou que isso não vai acarretar um aumento nas taxas pagas pelos cidadãos. Ele e Boudou afirmaram que essa comissão também será responsável por avaliar uma possível suspensão dos subsídios para o transporte coletivo de Buenos Aires e da região metropolitana. A princípio, a ideia é criar um sistema onde apenas as pessoas com menos recursos sejam beneficiadas.

Os subsídios foram medidas necessárias para recuperar a economia durante os duros anos pós crise de 2001.