terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Pinochet matou Neruda?

O Partido Comunista do Chile quer a exumação dos restos mortais do poeta Pablo Neruda, falecido em 1973, apenas 12 dias após o golpe militar liderado pelo general Augusto Pinochet. Neruda estava com a saúde debilitada em sua casa em Isla Negra quando soube da morte do presidente e amigo Salvador Allende. A partir daí, contam que a saúde do poeta, que sofria com um câncer de próstata, piorou. Foi internado às pressas em uma clínica de Santiago. Ao mesmo tempo em que lutava pela vida, militares invadiram sua casa em Ballevista. A residência foi parcialmente destruída e os livros pessoais do poeta foram inutilizados. Ou seja, Neruda estava na mira de Pinochet.

Agora, os comunistas querem esclarecimentos sobre a morte do poeta. Há suspeitas de envenenamento, fortalecidas por uma entrevista recente de um ex-funcionário de Neruda que afirmou que o poeta recebeu uma injeção que teria provocado um ataque cardíaco. Não é apenas teoria da conspiração, pois as coincidências são muito fortes nesse caso.

Este ano o Chile exumou o corpo do ex-presidente Salvador Allende para determinar a causa da morte, ocorrida no Palácio La Moneda durante o bombardeio dos militares. A conclusão foi que Allende cometeu suicídio.

Certamente o corpo de Pablo Neruda, que descansa em Isla Negra, será exumado. O Chile está revendo o passado e esclarecer a morte de um de seus principais personagens faz parte desse processo. Resta saber se Pinochet, além de ter fornecido provas suficientes de que não mereceria ter nascido, também é o assassino de Pablo Neruda.