terça-feira, 24 de abril de 2012

O rei, o elefante e o “¿por qué no te callas?”

Guardião de uma coroa, líder político e institucional, personagem fofinho e idoso de um país de iguais características, nomeado dias após a morte de Francisco Franco, reorganizador da Espanha, rei, caçador de elefantes e, agora, acuado como uma criança que fez bagunça.

Você deve lembrar do famoso “¿por qué no te callas?” dito pelo rei da Espanha, Juan Carlos I, ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, durante uma cúpula ibero-americana no Chile.


Diferente desse firme Rei que mandou um presidente eleito pelo povo calar a boca, um novo Juan Carlos I apareceu na mídia esta semana. Com voz baixa, desprovido do olhar ameaçador lançado anos antes para Chávez e, tal qual uma criança, pede perdão: 


“Sinto muito. Me equivoquei. Não voltará a acontecer.”