terça-feira, 26 de junho de 2012

CHAVISMO SEM CHÁVEZ: Com destaque internacional, chanceler Nicolás Maduro é cotado para substituir Chávez

Ministro das relações exteriores da Venezuela e ex-sindicalista, Maduro representa o país internacionalmente há 6 anos.
Num governo de alta rotatividade, Nicolás Maduro é o ministro há mais tempo no cargo.

Nicolás Maduro Moros é, possivelmente, o político venezuelano mais conhecido fora do país depois do presidente Hugo Chávez. Desde agosto de 2006 ele é o ministro das relações exteriores e representa a Venezuela em cúpulas, reuniões e encontros com líderes de outros países. A participação de Maduro se intensificou nos últimos anos, já que devido à doença, Chávez teve que cancelar muitos compromissos.

Entre todos os ministros do governo bolivariano de Chávez, Maduro não é um político verde (sic). Ele é o ministro que ocupa o mesmo cargo há mais tempo num grupo que apresenta alta rotatividade. Além disso, também é o mais novo titular da pasta da história.

Nicolás Maduro chegou ao poder mesmo sem ter curso superior. Profissionalmente, foi condutor do metrô de Caracas e, depois, passou a dirigir o sindicato de transportadores que ele mesmo fundou.

Depois da tentativa frustrada de golpe de estado perpetrada por Chávez em fevereiro de 92, Maduro ficou entusiasmado com as ideias daquele revolucionário socialista que tentava chegar ao poder por vias tortas, com boas intenções. Foi assim que Maduro entrou na política. Uma de suas primeiras ações como militante foi brigar pela liberação do diretor da prisão de Jarí, uma grande jogada política que marcou o início de sua carreira política, segundo analistas.

Maduro foi militante da Liga Socialista, depois foi co-fundador do movimento V República. Em 2000 foi eleito deputado nacional e reeleito em 2005. Em 2006, quando deixou a Assembleia para ocupar o cargo de ministro das relações exteriores, conseguiu eleger sua mulher, Cilia Flores, presidente da casa em uma votação interna.

Pessoas mais próximas revelam que Maduro se sentiu um peixe na água quando assumiu a diplomacia do chavismo, apesar da escassa formação em relações internacionais. “Aprendemos a respeitar-nos, a continuar, para que muito breve sejamos uma região vista no mundo com mais respeito”, disse certa vez.

No entanto, Chávez já anunciou que para recuperar o governo de alguns estados que estão nas mãos da oposição, quer que Nicolás Maduro seja candidato a governador no em Carabobo. Muitos analistas asseguram que esse projeto não é do agrado do chanceler.

Por outro lado, especialistas dizem que Nicolas Maduro seria o candidato preferido das potências estrangeiras, como China e Rússia, nações que mantém negócios com a Venezuela, para se converter no sucessor de Chávez. Documentos divulgados pela Wikileaks asseguram que Maduro é mesmo o preferido desses dois países.

Como resultado de sua boa prática da demagogia, sua maneira de inflar o povo, sua simpatia e inteligência, Nicolas Maduro brilha na lista de possíveis sucessores de Hugo Chávez. Aos 50 anos, ele é o que se pode chamar de político puro, pois sua história mostra que começou a militar por vontade própria e apaixonado pelos ideais revolucionários de Hugo Chávez. Dessa forma, converte-se em mais um nome forte para substituir o presidente, caso isso seja necessário.