domingo, 16 de dezembro de 2012

Em carta, Fidel diz que médicos “lutam com otimismo” por Chávez

O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, leu ontem uma carta enviada por Fidel Castro por ocasião do aniversário de 8 anos da ALBA. Reproduzo na íntegra, em tradução literal:

De: Fidel Castro
Para: Nicolás Maduro

“Caro Nicolas Maduro, por ocasião de celebrar os aniversários que vocês celebram, desejo expressar o seguinte: a ausência do presidente eleito por mais de 8 milhões de venezuelanos comove a todos nós.

Conheci Hugo Chávez há exatamente 18 anos, quando alguém o convidou para visitar Cuba e ele aceitou o convite. Ele me disse que teve a ideia de solicitar um encontro comigo, estava longe de imaginar que aqueles militares chamados de golpistas pelas agências de notícias, que tão bem por anos plantaram suas ideias, era um seleto grupo de revolucionários bolivarianos.

Esperei Chávez no aeroporto, o conduzi até o local de sua estadia e conversei com ele por horas, trocando ideias. No dia seguinte, na Aula Magna da Universidade de Havana, cada expressou suas ideias.

Nossas concepções diferem em aspectos que são alheios aos nossos conceitos e princípios políticos e, sobre as quais, nem falamos. A nossa cooperação médica começou na Venezuela após a tragédia de Vargas, em que milhares de pessoas morreram como resultado da negligência e imprevisibilidade de onde as pessoas mais pobres viviam naquele estado.

Venezuela, por sua vez, tem sido especialmente solidária com os povos do Caribe, América Central e América do Sul, desenvolveu fortes laços com a Bolívia, Equador, Brasil, Uruguai, Argentina e outros. Tem cultivado relações com a Rússia, Bielorrússia, Ucrânia e outras repúblicas da ex-URSS. Não esquece da Palestina ou da Líbia. Presta atenção às suas relações econômicas e políticas com a China, é em solidária com os povos da África. Pratica uma política de paz com todos os países.

O nome de Hugo Chávez é admirado e respeitado no mundo todo, e até mesmo muitos dos adversários desejam-lhe uma rápida recuperação. Os médicos lutam com otimismo por este objetivo. Como se sabe, todos os cubanos são revolucionários bolivarianos.

Viva Hugo Chávez. Até a vitória, sempre!"