quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Primeira-dama do Peru quer ser presidenta

Nadine Heredia, mulher de Ollanta Humala, deve representar o oficialismo em 2016
O governo liderado pelo presidente do Peru, Ollanta Humala, enviou ao Congresso uma proposta de modificação na legislação eleitoral que omite o artigo que, atualmente, proíbe que parentes do mandatário concorram. O que se diz é que Humala pretende lançar a mulher, Nadine Heredia, como candidata à presidência em 2016, já que não há reeleição imediata no país.

“Esse assunto não está na agenda”, dizem membros do governo quando questionados sobre uma eventual candidatura da primeira-dama. No entanto, no dia 22 de junho do ano passado a “Oficina Nacional de Procesos Electorales”, órgão do governo, enviou ao parlamento o projeto 01286/2011, chamado “Lei que propõe a aprovação do código eleitoral”.

O projeto, em seu artigo 69, proíbe que ministros, governadores, prefeitos e uma série de autoridades concorram à presidência sem renunciar aos seus cargos. No entanto, segundo o jornal El Comércio, o artigo não fala absolutamente nada sobre parentes do presidente. Sendo assim, se a proposta for aprovada, Nadine Heredia terá caminho livre para apresentar sua candidatura.

Ao que tudo indica, ela começou a se preparar logo que o marido assumiu a presidência. Antiga militante do Partido Nacionalista Peruano (assinou a ata de fundação), Nadine é presença constante em reuniões do governo. A primeira-dama usa sua conta no Twitter para fazer anúncios e comentar os principais fatos políticos do Peru. Além disso, tem aparecido bastante em público e até feito discursos.