terça-feira, 12 de março de 2013

Maduro insinua que Capriles é gay: 'Eu, sim, tenho mulher'


Assim como fez a campanha da hoje ministra da Cultura Marta Suplicy contra o opositor Gilberto Kassab para a prefeitura de São Paulo em 2008, o candidato chavista à presidência da Venezuela, Nicolás Maduro, deu um tiro no pé: em discurso no primeiro dia de campanha, o presidente interino insinuou que o opositor Henrique Capriles é gay. Ele usou o mesmo tom usado pela campanha do PT em 2008, quando um comercial de TV mostrava o rosto de Kassab e perguntava “é casado? Tem filhos?”.

“Eu, sim, tenho mulher, ouviram? Eu gosto de mulheres”, disse Maduro diante de uma multidão de chavistas que o acompanharam ao Conselho Nacional Eleitoral para registrar sua candidatura. Na sequência, Maduro deu um beijo na mulher para provar sua vantagem máscula contra o opositor. Cília Flores, alta dirigente do chavismo, era advogada-geral da União até poucos dias, quando se afastou para participar da campanha do marido.

Capriles, um jovem político de 40 anos, é solteiro e bonito. Reagiu à declaração de Maduro. “Quero enviar uma palavra de rejeição às declarações homofóbicas de Maduro. Não é a primeira vez. Creio numa sociedade sem exclusão, onde ninguém seja excluído por sua forma de pensar, seu credo ou sua orientação sexual”, disse.

Em 2012, Maduro chamou Capriles de maricón (gay), sem meias palavras.

Só para lembrar: o spot da campanha do PT em São Paulo pegou muito mal. Marta perdeu para Kassab por uma diferença de mais de 20%.