sexta-feira, 10 de maio de 2013

Advogado acusa Cristina e seu filho Máximo de assassinar Néstor Kirchner com tiro na nuca

Néstor foi velado em caixão fechado em outubro de 2010
Um advogado argentino descrito pela mídia do país como “multidenunciador do kirchnerismo” acusa a presidente Cristina Kirchner e seu filho, Máximo, de “homicídiosimples” pela morte do ex-presidente Néstor Kirchner. Segundo a denúncia apresentada à Justiça por Juan Ricardo Mussa, Néstor não morreu de parada cardíaca, mas sim com um tiro na nuca.

A denúncia se apoia em relatos de duas testemunhas não reveladas que dizem que Cristina e Néstor tiveram uma forte discussão na casa do casal, em El Calafate, pouco antes da morte do ex-presidente. O advogado ainda pediu que outras quatro pessoas sejam investigadas por encobrir o suposto crime. Ele ainda solicitou que o corpo de Néstor seja exumado para verificar a causa da morte.

Néstor Kichner morreu em 27 de outubro de 2010 de infarto, de acordo com o boletim oficial da Unidade Médica Presidencial. Em 7 de fevereiro daquele ano, ele havia sido internado com urgência e, em setembro, se submeteu a uma cirurgia por problemas do coração.