sábado, 28 de setembro de 2013

O desconcertante discurso de Mujica na ONU

Que o presidente uruguaio, o tupamaro José Pepe Mujica, acertou a mão em seu penúltimo discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas poucos discordam. Ele demonstrou preocupação além do limite costumeiro do pensamento que norteia essas reuniões. Em geral, os líderes mundiais vão à ONU com demandas de suas Nações, como fez a presidenta Dilma Rousseff ao criticar a espionagem norte-americana. Mas Mujica surpreendeu e se aprofundou nas características da nossa sociedade atual e em como ela está submissa ao poder do capital.

Reconhecido mundialmente por sua humildade – chamado de “o presidente mais pobre do mundo” -, Pepe Mujica tem todos os atributos para ser o porta-voz da austeridade. E assim o fez. A fala do uruguaio diante dos mais importantes líderes políticos do mundo foi desconcertante. O alcance das ideias de Pepe surpreendeu a todos e ofuscou até as falas do presidente norte-americano, Barack Obama, ou do novo líder iraniano, Hassan Rohani.

Imagino o que passou na cabeça de presidentes e premiês que, enquanto ouviam Mujica falar, que colocavam a mão na testa. O ar pensativo denunciava a efervescência de pensamentos. “Como somos mesquinhos”, é o que espero que passava pela cabeça desses líderes.

Antes de viajar para Nova York, Mujica alertou, quando perguntando sobre o discurso que estava preparando: “se eu falar na ONU tudo o que escrevi, vão isolar o Uruguai”. Ou seja, Pepe não falou nem metade do que pensa ou pretendia. Será que está guardando para seu último discurso, na Assembleia Geral do ano que vem?

Melhor do que tagarelar sobre o que disse Pepe Mujica é escutar o próprio. Abaixo o vídeo com o discurso completo:


Com legendas em português, nesse link.