quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Legalização da maconha no Uruguai será votada no Senado dia 10/12

O projeto do governo Mujica que legaliza o consumo e regula a produção de maconha deverá ser votado no plenário do Senado do Uruguai no dia 10 de dezembro. A informação partiu do senador Luis Gallo, integrante da Comissão de Saúde da casa, que aprovou a lei na última quarta-feira apenas com os votos dos governistas.

Salvo algum acidente de percurso, o projeto deve ser aprovado no Senado. A Frente Ampla, coligação de esquerda que reúne quase 30 partidos, tem 16 dos 30 senadores. Os outros 15 são colorados ou blancos. Para ser aprovado, o projeto precisa apenas de maioria simples.

Motivo de uma grande polêmica e assunto do momento no Uruguai, a proposta de Mujica de tomar para o Estado o controle da produção e da venda da maconha para quebrar o narcotráfico respingou do outro lado da fronteira. Defensores do atual e fracassado método de combate ao tráfico de drogas criticam a ideia uruguaia.

Entre os usuários, a avaliação é que a lei dificultará o acesso à maconha. Isso porque o projeto do governo impõe uma série de limitações para a compra da droga (de quantidade, inclusive) e estabelece um preço considerado alto pelos atuais consumidores do mercado ilegal: US$ 1 por cada grama.

Após a provável aprovação no Senado, o projeto segue para assinatura do presidente José Mujica. Só depois disso iniciam as articulações para a implantação do sistema de produção e credenciamento dos locais de venda da maconha. Segundo estimativas informais de integrantes da Frente Ampla, até o final de 2014 (ano eleitoral no Uruguai) o sistema deve estar organizado e em funcionamento.