segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Após reunião com Piñera, ministro chileno lê nota com voz embargada e vira piada

Quando o ministro do Interior do Chile (cargo equivalente ao ministro da Justiça do Brasil) começou a ler o informe sobre a reunião da qual acabara de sair no Palácio La Moneda, os jornalistas presentes trocaram olhares. Andrés Chadwick tinha acabado de sair de um encontro do presidente Sebastián Piñera com o Conselho Nacional de Segurança sobre a sentença que o Tribunal Internacional de Haia deve divulgar nos próximos dias a respeito da disputa entre Chile e Peru por uma extensa área do Pacífico.

A voz tremula do ministro chamou a atenção de todos. Nas redes sociais, o comentário foi geral. O que teria acontecido nessa reunião que deixou o funcionário do alto escalão do governo completamente descompensado? O fato virou a piada do dia no Chile: "agora os países vizinhos vão pensar que o Chile está com medo", escreveu um tuiteiro. "Não sei se foi choro de tristeza pela derrota ou de felicidade pela vitória", brincou outro.

Enquanto o ministro seguia a leitura, a chefe de imprensa do presidente Piñera perguntou se ele estava em condições de continuar. Ele não ouviu e continuou até o final.

Logo na primeira frase se ouve o murmurinho. Quando o ministro terminou a leitura da nota, alguém perguntou se ele estava emocionado. Chadwick pediu desculpas e se ofereceu para ler a nota novamente, caso a sua voz estranha tenha prejudicado o entendimento. "Não há um tom de voz diferente. Peço desculpas a todos se assim entenderam", disse.

Assessores do Palácio La Moneda disseram que a voz do ministro ficou alterada porque ele desceu as escadas correndo para ler a declaração. Pessoas próximas a Andrés Chadwick contaram ao portal Emol que ele só percebeu seu tom de voz diferente durante a leitura.