segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Bachelet enfrenta baixa aprovação no 1º ano de novo governo no Chile


No cargo desde março deste ano, a presidenta do Chile, Michelle Bachelet, enfrenta grandes dificuldades para manter a alta popularidade com a qual deixou a presidência em março de 2006 (84% aprovavam sua gestão) e conquistar a confiança dos 62% que votaram nela na eleição do ano passado. Uma pesquisa divulgada esta semana pelo jornal Nación mostra que a popularidade da presidenta está bem abaixo dos 60% no primeiro ano do governo anterior.

Segundo a pesquisa da Cadem, 37% aprovam Bachelet enquanto 48% desaprovam. O problema parece estar nas questões de segurança pública (o calcanhar de Aquiles de muitos governos de esquerda pelo mundo). Pesquisa específica sobre esse tema mostra que a desaprovação do governo Bachelet na área chega a 69%.

Oito em cada dez chilenos acreditam que a violência aumentou no último ano; 63% se sentem muito preocupados com a criminalidade; os Carabineros, polícia militar do Chile, são aprovados por 60% da população.

A preocupação com o nível de violência no Chile, as incertezas econômicas, a Reforma Tributária impopular e dúvidas sobre a reforma educacional proposta pela presidenta são apontados como motivos da queda de popularidade.

Na mesma época de 2006, primeiro ano de seu primeiro governo, Michelle Bachelet, chegou a ter 60% de aprovação e terminou o mandato, em 2010, com 84%.